5.6.11

Matéria: FBI procura pessoas para se infiltrar entre os ativistas de libertação animal

Houve dois relatórios esta semana de que o FBI (da Flórida) está à procura de informantes para fornecer dados sobre o movimento local dos direitos dos animais.



No primeiro caso, uma mulher em West Palm Beach, que é ativa no resgate de cães, foi visitada em sua casa por um agente do FBI. Ele disse que os militantes anti-vivissecção estão “cruzando a linha”, tornando-se “perigosos” e que “causarão danos a alguém”. O agente disse: “você tem um acesso que eu não tenho”. Ele disse-lhe que iria ser “recompensada” por qualquer informação que você fornecer - o agente também se ofereceu para levá-la para almoçar. Ela disse ao agente que não estava interessada. Antes de sair, o funcionário avisou-lhe para não se associar aos ativistas de direitos animais.



No início de abril, um ativista que faz web design para ganhar a vida foi contatado por uma “personal trainer” para ajudar a criar um site. O ativista se reuniu com a mulher em um café e conversaram por uma hora sobre o projeto. A “treinadora” complementa a sua história com fotos de seu trabalho, etc. Durante uma segunda reunião, do nada, ela mencionou que seu namorado era amigo de alguém que trabalha para o FBI, e que o FBI iria pagar “muito bem” para obter informações sobre ativistas pelos direitos dos animais locais. Ela disse que estava preocupada que os ativistas “poderiam se tornar violentos”. O ativista rapidamente encerrou a conversa.



É importante sensibilizar quando o FBI começa a dar voltas. A melhor defesa é sempre o silêncio, e as histórias deste tipo devem fornecer uma mensagem aos ativistas para se lembrar por que nunca se pode falar com a polícia.



Se você tiver sido visitado pelo FBI, por favor, ligue para a linha direta da Green Scare: 888-NLG-ECOLAW.



Peter Young